Atibaia vai receber reforço de 100 novas câmeras de segurança em 2019

Compartilhe!

Em entrevista ao jornal O Atibaiense, o secretário de Segurança Pública, Lucas Cardoso, falou sobre os avanços do GGI e queda dos índices de criminalidade.

O Atibaiense – Da redação

O secretário de Segurança Pública de Atibaia, Lucas Cardoso, conversou essa semana com o jornal O Atibaiense para falar sobre os avanços na área de segurança do município e os resultados do trabalho conjunto do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), que completou dois anos de atuação em 2019.
Lucas está atualmente licenciado do cargo de vereador e comanda desde janeiro de 2017 a Secretaria de Segurança. Guarda Civil Municipal concursado desde 2004, com 15 anos de carreira pública, entrou para a política em 2009, quando foi convidado para ser presidente do PRP. Em 2011 surgiu a chamada terceira via, com cinco partidos que apoiaram a candidatura de Saulo Pedroso de Souza a prefeito e de Mario Inui a vice-prefeito. Lucas fez parte de todo o processo e em 2012 foi candidato a vereador pelo PRP, sendo eleito para o primeiro mandato na Câmara Municipal. Reeleito em 2016, se licenciou do cargo para assumir a Secretaria de Segurança.
O atual secretário conta que desde que assumiu a secretaria iniciou conversas com as outras forças policiais para que houvesse um trabalho integrado. “Sempre fomos uma cidade onde as forças policiais tinham boa relação. Assumi a Secretaria de Segurança em janeiro de 2017 e fui me apresentar ao capitão Turolla, da Polícia Militar, para discutirmos índices criminais e outras informações. O capitão tinha a experiência de Amparo, onde trabalhava integrado com as outras forças de segurança. Fizemos então uma reunião com todos os representantes das forças policiais da cidade. Ainda não existia a ideia do GGI, mas foi uma reunião muito proveitosa, saímos de lá com a segunda reunião marcada. No intervalo entre as reuniões eu pesquisei e vi que já existia essa ideia de grupo, que era o chamado GGI – Gabinete de Gestão Integrada. Já existia lei federal prevendo”, explica Lucas.
A partir dessa conversa, o GGI foi criado e as operações conjuntas iniciadas. O GGI é composto pela Polícia Militar, Polícia Civil, Guarda Civil Municipal, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Rodoviária Estadual, Polícia Ambiental, Corpo de Bombeiros e tem todo o suporte do Poder Judiciário e da Prefeitura.
O modelo deu tão certo e os resultados foram tão positivos, com quedas expressivas de índices criminais e avanços tecnológicos, que cidades vizinhas vieram conhecer o trabalho. Atualmente Piracaia, Bom Jesus dos Perdões, Nazaré Paulista e Mairiporã já implantaram o GGI também. Bragança Paulista acabou de criar a lei. Prefeitos, vereadores e representantes das forças policiais de outras cidades também estão interessados no modelo de Atibaia, que chamou a atenção inclusive do Governo Federal.
Recentemente, o coordenador geral de Políticas para a Sociedade (Diretoria de Políticas de Segurança Pública – Ministério da Justiça), coronel José Arnon dos Santos Guerra, esteve em Atibaia e elogiou o sistema integrado implantado aqui. “O coronel chegou a comentar que vai copiar nosso modelo para levar ao Brasil inteiro”, comemora Lucas.
Os resultados do trabalho de Atibaia podem ser vistos nos números. Os índices criminais estão em queda e de acordo com o secretário de Segurança, devem cair ainda mais. “As operações realizadas em 2018 resultaram em muitas prisões, então, ou as quadrilhas que atuavam aqui estão presas, ou saíram da cidade”, explica.
Lucas deu um exemplo recente sobre os casos de furtos de veículos, com queda de 25% na primeira quinzena de maio na comparação com o mesmo período de 2018. “Foram 16 furtos de veículos em 2018 e 12 em 2019. Desses 12, um não foi furto, era um golpe do seguro; o outro foi uma pessoa que não lembrava onde tinha deixado o carro e um terceiro de uma pessoa que entregou o carro na ‘biqueira’ e registrou como furto. Então, furtos mesmo foram nove, uma redução de 25%”.
O secretário diz que o GGI identificou que uma quadrilha que atuava na madrugada, furtando veículos, não está atuando mais na cidade. “Agora estamos trabalhando para prender quadrilha de furtos de motocicletas”.
O secretário falou também de números falsos de furtos. O GGI descobriu recentemente que vários casos registrados na cidade eram na verdade golpe do seguro. A pessoa registrava o caso como furto para receber o dinheiro do seguro do veículo. Lucas conta que mais de 15 pessoas já foram indiciadas e agora a polícia trabalha na investigação para saber quem era o aliciador.
A grande aliada para descobrir o golpe foi a tecnologia. Graças à Muralha Digital foi possível ver a movimentação dos carros que alegavam terem sido furtados e perceber contradições com os depoimentos.
Hoje Atibaia conta com 20 pontos de monitoramento por câmeras e com 55 câmeras. São duas salas que recebem as imagens em tempo real – uma da inteligência e uma do monitoramento. Quando há o cadastro de uma placa no sistema, por exemplo, um alarme é disparado para avisar as forças policiais que o veículo passou por determinada câmera.
Com toda essa tecnologia, Lucas faz o alerta para que em caso de roubo de veículos, por exemplo, a vítima ligue imediatamente para o 190 ou 153. “Prendemos uma quadrilha que roubou uma casa assim. Saíram da casa com o veículo, a vítima ligou na hora para a polícia e pegamos a quadrilha saindo da cidade”.
E o monitoramento vai aumentar a partir deste ano. Segundo Lucas, cerca de 100 novas câmeras serão instaladas em pontos estratégicos. “Já está previsto no projeto da Muralha Digital levar câmeras para a Usina. Estamos agora em estudo para colocar nos bairros do Tanque, Portão e na área rural. A Alameda Lucas receberá mais quatro câmeras da Muralha Digital (câmeras fixas, que leem placas dos veículos) e já licitamos sete câmeras dome (que giram 360º e dão zoom). Toda a extensão entre o COC e a Igreja do Rosário receberá câmeras. Além de 30 câmeras nos cruzamentos. A Alameda Lucas inteira será monitorada”, conta Lucas.
O secretário informa ainda que há um novo contrato para 50 câmeras do tipo dome nos principais acessos da cidade, contemplando bairros como Alvinópolis, Cerejeiras e Caetetuba, além de outras localidades.
O reforço, porém, não será somente na área de tecnologia. Atualmente 52 novos guardas civil municipais estão em curso de formação. Todos que passarem no processo entrarão para o efetivo e iniciam as atividades em setembro. A GCM receberá ainda dez novas viaturas. Hoje são 12 viaturas e seis motos.
O secretário falou que uma grande aliada também do GGI tem sido a população. A Polícia Militar tem implantado na cidade o projeto Vizinhança Solidária, com parceria do GGI e da Guarda Civil Municipal. São hoje 55 grupos com outros dois em fase de implantação. “Esse trabalho com a comunidade é muito importante. O morador conhece a rotina do bairro, sabe se está acontecendo algo suspeito. Esse trabalho em parceria com a polícia ajuda muito a diminuir índices de criminalidade, a trabalhar a prevenção, por isso é importante fortalecer o programa. Pedimos que pessoas procurem saber sobre o projeto em seu bairro. Onde ainda não existe o programa, estamos à disposição para agendar reunião e implantar”.
Apesar do bom trabalho desenvolvido nos últimos dois anos, Lucas deve deixar a Secretaria de Segurança entre setembro e outubro. Como vereador licenciado, deve retornar para a Câmara Municipal. A expectativa é que ele seja o presidente do Legislativo em 2020.
Sobre uma possível candidatura a prefeito, afirmou que está à disposição do grupo. “Os candidatos a prefeito e vice serão medidos ainda. É preciso analisar o que a cidade quer, o que a população espera. O grupo vai analisar os nomes, mas estou à disposição para ser candidato a prefeito se for a decisão. Eu quero fazer sempre o meu melhor, seja como prefeito, vice, vereador ou voltando à Guarda Civil Municipal. Amo Atibaia e quero o melhor para a cidade, independente do cargo em que esteja”, finalizou.

Deixe uma resposta