Programa Vida Nova promove atendimento a pessoas em situação de rua em Atibaia

Compartilhe!

As abordagens são realizadas diariamente no município, dia e noite. A estratégia utilizada é o diálogo, o apoio e o convencimento pessoal.

O Programa Vida Nova, do Fundo Social de Solidariedade de Atibaia, vem intensificando as abordagens a pessoas em situação de rua no município. Lançado no ano de 2017, a iniciativa segue promovendo medidas que visam resultados práticos na rotina de quem quer uma oportunidade para recomeçar.

Na última semana, as equipes do programa abordaram oito indivíduos em situação de rua que chegaram em Atibaia vindos de outros municípios. Durante a abordagem, com a presença da Guarda Civil Municipal (GCM), foram encontradas oito facas, devidamente apreendidas, e na sequência todos foram encaminhados para os serviços socioassistenciais disponíveis no município.

A coordenação do Programa Vida Nova é realizada pelo Fundo Social, com apoio de vários setores da Administração Municipal, como a Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social, Secretaria de Saúde, a GCM e demais forças de segurança do GGI Atibaia, além de entidades sociais e líderes religiosos da cidade.

As abordagens são realizadas diariamente no município, dia e noite. A estratégia utilizada é o diálogo, o apoio e o convencimento pessoal. Por meio de um trabalho humanizado, a equipe de abordadores sociais presta o primeiro contato e tenta sensibilizar as pessoas em situação de rua a voltar para a casa de seus familiares ou a aderir aos serviços disponíveis pela Prefeitura, como o Centro Pop e a Casa de Passagem e Centro de Acolhida (no espaço da Casa de Passagem).

Os serviços socioassistenciais da Prefeitura oferecem espaço de acomodação, guarda de pertences, cuidados de higiene pessoal, de alimentação e provisão de documentação, além de atendimento psicossocial, promovendo a reinserção na sociedade e possibilitando que a pessoa tenha uma vida com mais qualidade e dignidade.

“Com o Programa Vida Nova buscamos oferecer um recomeço às pessoas que se encontram em situação de rua. É importante lembrar que as entidades sociais não fazem mais a entrega de doações diretamente nas ruas, pois essa conduta acaba estimulando a permanência nas ruas. Agora as doações estão sendo feitas junto à Casa de Passagem, adequada para o acolhimento dessas pessoas, com todo o suporte necessário”, explica a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, Simone Cardoso.

Conforme ela esclarece, também é importante que as doações de munícipes sejam destinadas à Casa de Passagem, Fundo Social e entidades sociais, e não feita diretamente nas ruas. “A doação direta é um gesto solidário louvável por parte da população, mas aborda o problema de forma paliativa, superficial, apenas a curto prazo. É uma iniciativa que já se mostrou ineficiente como solução definitiva para o problema e que, ao contrário, acaba ampliando-o”, ressalta Simone.

Deixe uma resposta