Jornal O Atibaiense completa hoje 118 anos

Compartilhe!

Acompanhando tendências nacionais e internacionais da mídia escrita, o jornal cresceu e se consolidou no gosto popular. É o principal veículo de comunicação da cidade.

O jornal O Atibaiense comemora hoje, dia 17 de fevereiro, seus 118 anos de atividades. A direção, representada pelos irmãos Wagner e Carlos Alberto Bassetto, tem procurado conciliar tradição e inovação nas páginas do periódico, criado no início do século XX, exatamente 1901. Na segunda metade do século passado, o diretor Benedito José Bassetto comandou um novo ciclo do jornal, contando com a parceria da equipe, dos leitores e anunciantes.
Acompanhando tendências nacionais e internacionais da mídia escrita, o jornal cresceu e se consolidou no gosto popular. É o principal veículo de comunicação da cidade, sendo sempre lembrado nas pesquisas de opinião, especialmente naquelas contratadas pelos políticos em campanha. O Atibaiense passou por várias fases da imprensa, desde o sistema de linotipos até o atual modelo computadorizado.
Há um reconhecimento geral, embora mais implícito que explícito, de que este jornal, criado no início do século passado, quando Atibaia era uma pequena vila ainda, é hoje uma instituição da cidade. A palavra “instituição” aqui não é usada para rivalizar com a divisão dos poderes – Executivo, Legislativo e Judiciário – nem com tradições como as religiosas. Funciona como ícone, paradigma, padrão de existência, contra o qual muitos se opõem mas sem deixar de admitir a influência e o peso sobre a opinião pública.
O jornal é uma instituição, na medida em que acompanha a opinião pública, a política e a economia, em seus vários momentos, nuances, formas. Ao longo desdes 118 anos de atividades, O Atibaiense abrigou gerações de jornalistas e colunistas e criou laços profundos com a comunidade. Abrigou colaboradores comprometidos com a coletividade, refletiu as lutas políticas e sociais, contou histórias de vitórias pessoais que impactaram a população, expôs talentos culturais e esportivos. Enfim, registrou a história desta urbe, o paraíso quase possível na Terra.
Lá se vão muitas décadas de papel, impressão e reações. A cidade mudou bastante durante esse período, deixando de ser provinciana e fechada, comandada pelo coronelismo tão característico do interior no país, para se aproximar mais dos grandes centros de poder. Mesmo com tantas mudanças, que modernizaram Atibaia e a colocaram entre as referências do Estado, o jornal continua fonte de história e atualidade para leitores, anunciantes e autoridades.
Claro que jornal é um produto diferente de outros. Além do aspecto material, de distribuição e circulação, ele carrega ideias, conceitos, informações, mudanças e tendências do momento. Nesse sentido, é um todo composto, afetando e projetando as crenças, os valores, as expectativas e os desejos que correm nos corações e mentes dos cidadãos.

Deixe uma resposta