MORANGOS DE ATIBAIA

“Morangos de Atibaia.
Tem que ser aqui.
Venha comprar, minha senhora.
Não deixe para depois.
Tem de ser agora.”

Assim se iniciava o pregão que eu ouvi ontem de manhã. Como costumo fazer quase todo dia de manhã, eu caminhava pela Avenida Barão de Limeira, a uma quadra da minha residência,no bairro de Campos Elísios, em São Paulo.
E comecei então a ouvir aquele som que vinha de um caminhão estacionado, na avenida, à sombra de uma frondosa árvore.
Fui me aproximando mais daquele veículo e aquela mensagem, na qual a princípio eu não acreditava, foi se tornando mais nítida aos meus ouvidos. Incrível! Eram realmente morangos de Atibaia, minha cidade natal, que estavam sendo vendidos naquele caminhão. Fui chegando ainda mais perto:

“Venha ver que delícia este sabor.
Não perca esta oportunidade.
Vem depressa, meu senhor.”

Permaneci durante alguns minutos bem próximo daquele caminhão para ouvir melhor aquela voz:
“Daqui apouco não tem mais
Venha antes que acabe.
Três caixas só por cinco reais.”

Achei tão bacana aquele som que saía da cabine daquele veículo que,ao me aproximar bem dele, peguei o meu celular e o preparei para gravar aquele pregão para ouvi-lo depois em casa e incluí-lo em um poema que pretendia compor.Aliás, aquele pregão já era um poema. Tão espontâneo! Tão popular!Bati também várias fotos do caminhão dando destaque para os morangos que, aliás, davam-me água na boca.

É bem  nessa época que acontece em Atibaia a Festa da Flores e dos Morangos.Eu,  inclusive, pretendia ir a minha terra natal, para ver essa exposição, como faço todo ano, mas, infelizmente, por causa desta maldita pandemis decidi não ir.
Claro que gostaria de ter idoa Atibaia para saborear aqueles morangos e também para ver a exposição de flores. Mas não importa, havia morangos ali na minha frente e até parece que tinham sido encomendados para mim. Parecia ser quase uma entrega em domicílio.
Aqueles morangos estavam por um bom preço. Comprei três caixas e fui muito contente para casa. Foram a sobremesa do meu almoço daquele dia. Todo mundo lá em casa adorou aqueles morangos.