10º Seminário da Trilha Transmantiqueira acontece em abril

Compartilhe!

A Trilha Transmantiqueira (TMTQ) realizará seu 10º seminário nos dias 04 e 05 de abril, em Atibaia. O foco do encontro seráo trecho do “Setor Pedra Grande” (da Serra de Itapetinga até a Serra do Lopo).

Press release

Os principais objetivosdo 10º Seminário são:
• apresentar a Trilha Transmantiqueira aos interessados, buscando integração com propostas de turismo e conservação da natureza na região– sejamelas governamentais, municipais, estaduais ou federais, privadas, comunitárias ou da sociedade civil;
• apresentar a proposta do trecho inicial, “Da Pedra Grande (de Atibaia) à Pedra do Baú” ; e
• promover todos os tipos de parcerias e sinergias possíveis, em apoio à trilha, em defesa da conservação da natureza e em prol do turismo e do desenvolvimento sustentável local.
Comparticipação gratuita e aberta aos interessados, as atividades do seminário serão realizadas no Recanto do Saci Hotel e Eventos (dia 04) e no Parque Natural Municipal da Grota Funda (PNMGF; dia 05). O programa do evento está em documento anexo. Para inscrição, basta preencher o formulário em: https://forms.gle/ohKEyXBFMjdHZ7TQ7.

Trilha Transmantiqueira
A Trilha Transmantiqueiraé uma proposta antiga de um conjunto de montanhistas, trilheiros e outros interessados.Agora, torna-se realidade pelo esforço liderado por voluntáriosem cada um dos seus setores. Sua proposta de traçado valoriza trechos de trilhas preexistentes e atrativos já conhecidos, procurandointerligá-los e complementá-los em uma rota mais abrangente, muito mais atrativa no seu conjunto (inclusive em nível internacional), que deverá ter mais de 1.000 Km quando completa – ajustando-se posteriormente, como se fosse um “organismo vivo”.
Ela integra a Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso, a qual se apoiou e se inspirou em portaria anterior dos Ministérios do Meio Ambiente (MMA) e do Turismo (MT) e em exemplos internacionais. A TrilhaTransmantiqueira tem como objetivos principais:
• promover o lazer dos trilheiros e visitantes;
• promover a conectividade ecológica (inclusive pelo fortalecimento da proteção e pela promoção da restauração);
• promover o turismo, especialmente o de base comunitária, e o desenvolvimento sustentável do seu entorno; e
• desenvolver o trabalho de promoção,por meio de voluntariado.
Importante também destacar as orientações da coordenação da Trilhas Transmantiqueira aos usuários: Atue como bom conservacionista – não danifique; não deixe marcas; não retire exemplares, inclusive de plantas, das unidades de conservação.

Promotores
O 10º Seminário da Trilha Transmantiqueira – SetorPedra Grande (da Serra de Itapetinga até a Serra do Lopo) é uma promoção da Associação Trilha Transmantiqueira (ATT), com o Grupo de Trabalho (GT) Pedra Grande, da Trilha Transmantiqueira (TMTQ), em copromoção com a Fundação Florestal de São Paulo (FF-SP), o Coletivo Socioambiental de Atibaia (CSAA) e a Simbiose. Conta, ainda, com o apoio da Prefeitura da Estância de Atibaia (PEA), do Clube Atibaiense de Voo Livre (CAVL) e do Refúgio do Saci Hotel e Eventos.

Desenrolar do seminário:
• No primeiro dia, dia 04 de abril, no Recanto do Saci Hotel e Eventos, haverá apresentações sobre a proposta da Trilha Transmantiqueira, andamento e desdobramentos do projeto. Além das perspectivas dos órgãos gestores de unidades de conservação, do setor de turismo, dos proprietários, da sociedade civil, prefeituras etc. (Ver programa do evento em documento anexo.)
• No dia 05 de abril, no Parque Natural Municipal da Grota Funda (PNMGF), ocorrerá mutirão e prática de sinalização e visita ao PNMGT.

Informação complementar – Natureza e Sociedade
Cada vez mais é reconhecido que o contato com a natureza é benéfico para as pessoas e para a sociedade. Desde o lazer e o turismo, até a saúde para todas as idades e os benefícios na evolução das crianças.
As soluções baseadas na natureza também são a melhor opção para os serviços dos ecossistemas, desde a qualidade da água de abastecimento, até a redução do impacto de desastres (como chuvas torrenciais, com enchentes, e outros).
As áreas protegidas são o melhor mecanismo que a humanidade já inventou para promover a conservação da natureza e permitir o acesso das pessoas e grupos sociais aos seus benefícios.
A imersão na natureza (ou o chamado “banho de floresta”, em locais e com procedimentos reconhecidos e orientados) permite desestressar, promove a curiosidade das crianças e estimula o melhor relacionamento entre as pessoas que frequentam a natureza em grupo, como famílias ou grupos de amigos.
Uma das melhores formas de aproveitar a natureza e promover bom contato com ela são as caminhadas. As trilhas, dentro de áreas protegidas ou de longo curso (muitas vezes conectando áreas protegidas), são a forma de organizar a possibilidade dessa visitação e das caminhadas.
O Brasil é o país de maior biodiversidade, apresenta belíssimas paisagens, rica história e diversidade cultural e tem mais de 2 mil unidades de conservação (federais, estaduais e municipais). No entanto, mesmo a maior parte delas sendo áreas protegidas, que supõem ou permitem a visitação, pouca estrutura e divulgação é feita a respeito.
Além de outros benefícios econômicos, bem tangíveis, técnicos do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade têm estudado a movimentação da economia por conta do turismo nas unidades de conservação federais. As estimativas atuais são de movimentação de R$ 15,00 na economia local por cada R$ 1,00 investido nas unidades de conservação e nas condições para sua visitação.
Parece claro que há espaço para diferentes tipos de turismo, desde aqueles voltados aos visitantes interessados em boa comodidade, até os mais aventureiros. Como mencionado acima, as caminhadas estão presentes em grande parte das opções e as trilhas são uma estrutura simples a colocar à disposição. A onda atual de trilhas de longo curso, que mobiliza interessados por todo o Brasil, começou na “Transcarioca” e, hoje, inclui o “Caminho da Cora Coralina”, os “Caminhos da Mata Atlântica” e a “Trilha Transmantiqueira”, entre vários outros.Essas iniciativassão promovidas, principalmente, pelo trabalho voluntário de interessados nas opções de lazer em contato com a natureza e daqueles que promovem maior visitação nas unidades de conservação.

Contatos paraesclarecimentos:
• Hugo de Castro,coordenador-geral da Trilha Transmantiqueira e presidente da Rede Brasileira de Trilhas de Longo Curso, além de montanhista, escritor e membro fundador da Trilha Transcarioca: + (21) 9-8057-3113 (inclusive WhatsApp); e hugodcp@gmail.com.
• Paul Colas, do Grupo de Trabalho Pedra Grande da Trilha Transmantiqueira e do Coletivo Socioambiental de Atibaia, além de montanhista com 20 anos de experiência em montanhas nacionais e internacionais: + (11) 9-7091-3373 (inclusive WhatsApp); e paulcolas@gmail.com.
• Cláudio C. Maretti, um dos coordenadores do seminário, do Grupo de Trabalho Pedra Grande da Trilha Transmantiqueira e do Coletivo Socioambiental de Atibaia, além de experiência de décadas em áreas protegidas, inclusive na liderança de órgãos responsáveis por sua gestão, e na relação entre sociedade e natureza: + (11) 9-6326-6796 (inclusive WhatsApp); e claudio.maretti.1958@gmail.com.

Deixe uma resposta