Centenário da família Vencovsky

Compartilhe!

Foto: Josef e Anna (Steiner) Vencovsky em Klosterneuburg, Áustria, por volta de 1910.

Neste sábado, dia 15 de fevereiro, a família Vencovsky estará se reunindo em Atibaia, no Hotel Atibaia Plaza, para relembrar o centenário da chegada dos primeiros Vencovsky ao Brasil. Segundo Vitor Pires Vencovsky, um dos organizadores do almoço, o momento promete muitas emoções, pois a história da família está muito relacionada à luta e superação, principalmente devido às duas grandes guerras mundiais.
A família é originária de Klosterneuburg, Áustria, cidade localizada ao norte de Viena, às margens do rio Danúbio, que atualmente conta com 14 mil habitantes. Os pais Josef e Anna e os cinco filhos passaram por grandes dificuldades durante a 1ª Guerra Mundial. Em 1915, o filho mais velho, Ernst, foi para o campo de batalha e, após ser atingido por uma bala que quebrou seus dois braços e cortou o abdômen, morreu num hospital pouco tempo depois de tétano. 
Nos anos seguintes, a situação piorou, já que as cidades austríacas estavam destruídas pela guerra e as pessoas começaram a morrer devido à gripe espanhola, isso entre 1918 e 1919. A família resolveu, então, se mudar para o Brasil em 1920.
A viagem começou no dia 6 de janeiro de 1920 em Trieste, na Itália, e terminou no porto de Santos em 15 de fevereiro do mesmo ano. A travessia do Atlântico durou 41 dias e foi realizada no navio Columbia, da empresa Cosulich Societá Triestinadi Navigazione. Após duas décadas na capital São Paulo, a família cresceu e prosperou. Os irmãos Otto e Paulo abriram uma empresa de representação para a venda de produtos químicos fabricados, principalmente, por indústrias alemãs. A Casa Paulotto ficava na Rua Anhangabaú, no centro de São Paulo.
O início da 2ª Guerra Mundial desestruturou novamente a família. A Casa Paulotto encerrou as atividades e os irmãos se separaram. Otto ficou tão decepcionado e triste que resolveu vender as propriedades e comprar uma terra em Atibaia, formando a Fazenda São José. O nome da fazenda é uma homenagem ao seu pai Josef.
A família conta com uma grande quantidade de documentos, fotos, jornais, revistas e livros que mostram a vida e a história dos Vencovsky na Áustria e no Brasil. Esse acervo está sendo organizado no site www.vencovsky.com. Um dos itens mais importantes, segundo Vitor Pires Vencovsky, são as correspondências de guerra entre Ernst e sua família e entre Josef e Otto, que também estiveram na 1ª Guerra Mundial, com a mãe Anna. Numa das cartas, Ernst pede aos pais para enviarem um produto para matar pulgas, pois a trincheira estava infestada por elas. Estas correspondências participaram de uma importante exposição em Londres, em 2018, ano em que foi relembrado o centenário do fim da 1ª Guerra Mundial.
As histórias relacionadas aos Vencovsky representam, em vários aspectos, o que aconteceu com diversas outras famílias de imigrantes. Todas elas lutaram muito pela união e sobrevivência de seus entes queridos.

Deixe uma resposta