Atibaia tem aumento de matrículas da educação infantil ao ensino profissionalizante

Compartilhe!

Segundo o Censo Escolar realizado pelo Ministério da Educação e disponibilizado pelo Inep, Atibaia teve aumento das matrículas em relação a 2018.

O Atibaiense –Da redação

            O Ministério da Educação (MEC) divulgou recentemente os resultados do Censo Escolar 2019, com informações sobre as matrículas na rede básica de ensino. Em Atibaia, na comparação com o Censo de 2018, somente a modalidade EJA (Educação de Jovens e Adultos) apresentou queda no número de alunos.

            O Censo traz dados sobre educação infantil (creche e pré-escola), ensino fundamental (anos iniciais e anos finais), ensino médio (normal e o médio integrado ao técnico), educação profissionalizante (ensino técnico integrado ao médio, técnico concomitante e técnico subsequente), EJA (ensino fundamental e ensino médio) e educação especial (classe comum e classe especial).

Na comparação do Censo 2018 com o Censo 2019, Atibaia viu crescer o total de alunos em quase todas as modalidades. A EJA teve queda significativa, mas pode representar, por exemplo, que a cidade está suprindo ao longo dos anos a necessidade das pessoas mais velhas voltarem a estudar. A demanda é que pode ter diminuído, não a falta de vagas.

O total de alunos na chamada rede básica de ensino passou de 35.160 em 2018 para 35.695 em 2019, um crescimento de 1,5%. No infantil (creche e pré-escola), houve aumento de 1,3%, passando de 7.961 alunos para 8.071. O total de alunos em creches subiu 3,5% (de 3.752 para 3.886), com a alta sendo puxada pela rede particular (9,4% a mais – de 1.591 alunos para 1.741). Na rede municipal, houve queda de 0,74% nas matrículas, com 16 alunos a menos de um ano para outro. Foram 2.161 matriculados em 2018 e 2.145 em 2019.

A pré-escola teve queda de alunos, puxada pela rede municipal. Nas escolas do município, o número de alunos caiu de 3.351 para 3.301 (-1,4%). Vale lembrar, no entanto, que a queda não tem relação com a falta de vagas, pois a rede municipal atende a 100% da demanda na pré-escola. Na rede particular é que houve crescimento de 3,03%, passando de 858 alunos para 884.

No ensino fundamental, houve aumento de alunos em todas as redes – municipal, estadual e particular. O total de alunos passou de 19.581 para 20.045 (aumento de 2,3%). Nos anos iniciais (1º ao 5º) o crescimento foi de 2,8%, passando de 10.840 estudantes para 11.154. A rede municipal é a que concentra a maioria dos alunos, passando de 8.245 para 8.413 (+2,03%). A rede privada ganhou 4,9% mais alunos de um ano para outro (2.164 para 2.272). A rede estadual tinha 431 alunos e passou para 469.

Os anos finais do ensino fundamental (6º ao 9º) só existem na rede estadual e privada. Houve aumento de 1,7% no total de alunos, de 8.741 para 8.891. A rede particular teve um crescimento expressivo de 6,9% (de 1.827 para 1.954 alunos). A rede estadual recebeu apenas 23 alunos a mais.

No ensino médio o total de alunos passou de 5.842 para 6.005 (+2,7%). Houve aumento tanto na rede estadual (+2,5%) como na particular (+3,7%). O ensino profissionalizante cresceu 1%, passando de 1.074 alunos para 1.085. O ensino médio integrado ao técnico estadual tinha 327 alunos em 2019; o técnico concomitante, 53, o técnico subsequente, 705.

A EJA é a única modalidade com queda significativa no total de alunos. Eram 1.031 matriculados em 2018 e 816 em 2019, queda de 20,8%. No ensino fundamental, as matrículas caíram de 428 para 335 (-21,7%) e no ensino médio, diminuíram de 603 para 481 (-20,2%).

A educação especial teve aumento de 7,3% nas matrículas, passando de 868 alunos para 932. Nas classes comuns estão a maioria dos alunos – eram 815 em 2019. Nas classes especiais, eram 117 alunos no ano passado.

Todos os resultados do Censo Escolar 2019 já estão disponíveis para consulta no portal do Inep na internet.

Deixe uma resposta