Atibaia fecha 2019 com saldo positivo de empregos

Compartilhe!

É o melhor resultado do município desde 2011. O saldo positivo do ano passado ficou em 838 vagas geradas.

O Atibaiense – Da redação

            Atibaia fechou o ano de 2019 com o melhor saldo de geração de empregos desde 2011. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados pelo Ministério da Economia na última sexta-feira (24). O saldo do ano passado foi de 838 (considerando demissões e admissões).

            De janeiro a dezembro de 2019, Atibaia apresentou saldo positivo nos setores de serviços, com 504 vagas; comércio, com 388 e construção civil, com 103. Outros setores apresentaram mais demissões que contratações, como indústria, com saldo negativo de 126; agropecuária com saldo negativo de 12 vagas; serviços industriais de utilidade pública com -10 e extrativa mineral com -9.

            Em 2018, Atibaia fechou o ano com saldo positivo de 703 vagas, valor inferior ao ano passado. Desde 2011, é o melhor resultado do município, que vem recuperando a geração de empregos.

            Em 2012 o saldo do ano foi de -96 (mais demissões que contratações); em 2012, ficou positivo em 578; em 2014, positivo de 279; em 2015, a queda de empregos foi brusca, atingindo saldo negativo de 1.384; em 2016 foi de -26; em 2017, de -393. A recuperação começou em 2018, com saldo positivo de 703. Em 2019 a cidade mostrou que se mantém no caminho da recuperação do emprego, com saldo positivo de 838.

NO PAÍS

Os dados do Caged indicam uma retomada da atividade econômica brasileira. Ao todo, foram gerados 644.079 postos de trabalho perfazendo um aumento de 21,63% se comparado a 2018.

“Todos os setores tiveram desempenho positivo. E além (dos bons resultados) estarem espalhados em todos os setores, também estão espalhados em todas as regiões do país. Isso é importante!”, ressaltou o subsecretário de Políticas Públicas de Trabalho, Matheus Stivali.

Os oito setores econômicos registram saldo positivo: Extrativa Mineral gerou 5.005 novos empregos; Indústria de Transformação, 18.341; Serviços Industriais de Utilidade Pública, 6.430; Construção Civil, 71.115; Comércio, 145.475; Serviços, 382.525; Administração Pública, 822; e Agropecuária, 14.366.

O setor de Serviços foi o que apresentou o maior saldo em 2019, com um crescimento de 2,22% em comparação com 2018. O subsetor com números mais robustos foi o de Comercialização e Administração de Imóveis, com 188.797 novos postos de trabalho.

No recorte geográfico, em números totais, a região Sudeste foi a que mais se destacou na criação de novos empregos. Percentualmente, o Centro-Oeste foi o que mais apresentou crescimento.

Sudeste: +318.219 postos (+1,50%), Sul: +143.273 postos (+2.01%), Nordeste: +76.561 (+1,21%), Centro-Oeste: +73.450 (+2,30%), Norte: +32.576 (+1,82%).

O secretário de Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Dalcomo, afirmou que “é um resultado muito expressivo. O ano de 2019 é um registro da retomada da economia brasileira, uma retomada sustentada e baseada nos principais setores. Tivemos números positivos em todos os setores, mas, principalmente, em Comércio e Serviços. A Construção Civil e a Indústria retomaram um crescimento depois de muitos anos de diminuição no número de empregos”.

Esse é o segundo ano consecutivo de crescimento de abertura de vagas com carteira assinada. Em 2018, foram contabilizados 529.554 novos postos.

Para 2020, a expectativa do Governo Federal é que sejam gerados um milhão de novos empregos. “Os números oficiais do governo são de um crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) na ordem de 2,5%, mas há operadores de mercado que já falam de um crescimento de 3%. Se isso acontecer, é provável que nos aproximemos do volume de um milhão de novos empregos”, defendeu Dalcomo.

É o melhor resultado do município desde 2011. O saldo positivo do ano passado ficou em 838 vagas geradas.

Deixe uma resposta