Atibaia, mostrando cultura paulista, foi representada no Congresso Brasileiro de Folclore

Compartilhe!

Atibaia, mostrando a cultura paulista, teve participação importante no XVII Congresso Brasileiro de Folclore, que aconteceu em Maceió (Alagoas) de 2 a 4 de outubro. A pesquisadora Lilian Vogel, que desenvolveu estudos sobre a Festa de São Gonçalo e outro, recebeu troféu do Grupo Guerreiros de Alagoas, pela palestra proferida sobre as manifestações folclóricas do Estado de São Paulo.

O tema do encontro foi “Folguedos Populares: tradicionalidade e dinamicidade”. Houve conferências, palestras, debates, homenagens, apresentações culturais, bancas de livros e gastronomia. São oportunidades em que estudiosos e pesquisadores dos conteúdos dos fatos folclóricos se reúnem para intercambiar, produzir e buscar estímulos e formas para melhor preservação, difusão e resgate.

Lilian Vogel

 

VASTO CURRÍCULO

O evento foi realização da Comissão Alagoana de Folclore (CAF), em parceria com a Secretaria de Estado da Cultura (Secult/AL) e outras importantes entidades civis do estado. Os participantes elaboraram a carta de Maceió, documento que norteará o caminho da Comissão Nacional até o próximo congresso, já marcado para 2021 em Mossoró, Rio Grande do Norte.

Lilian Vogel tem vasto currículo: analista de Gestão em Atibaia, responsável pelo Museu Municipal João Batista Conti, presidente da Comissão Paulista de Folclore, participante da diretoria da Comissão Nacional de Folclore como titular do Conselho Consultivo e conselheira do CONDEPHAAT na cadeira de Patrimônio Imaterial. Em sua palestra, evidenciou os grupos de folclore locais e as festas e encontros mais significativos do Estado de São Paulo, como o Revelando São Paulo, em todas as suas edições desde 1997.

FESTIVAIS PAULISTAS

Ela citou o Festival de Folclore de Olímpia, o Festival de Folclore de Santo Antônio da Alegria, as Festas do Divino Espírito Santo em Mogi das Cruzes, Joanópolis, Nazaré Paulista, São Luiz do Paraitinga, Piracicaba e Tietê e a Festa de São Benedito de Aparecida, Guaratinguetá, Lorena, Taubaté, São José dos Campos, Atibaia, Socorro e muitas outras cidades paulistas. Também falou sobre os grupos de fandango caiçaras, os alimentos referentes às festas e às tradições juninas. Finalizou com as metas para os próximos anos da Comissão Paulista, que são a revitalização dos núcleos de folclore, a participação dos grupos em editais de fomento, o incentivo à criação das leis municipais de patrimônio imaterial e a criação de Associações de Apoio ao Folclore, citando a criação da ATIFÉ, de Atibaia.

No Congresso, duas representantes da Comissão Paulista de Folclore receberam a Medalha de Folclorista Emérito, a mais alta condecoração da Comissão Nacional. São elas a professora Neide Rodrigues Gomes, de Joanópolis, e a professora Ângela Savastano, de São José dos Campos.

Deixe uma resposta