GGI cria medalha em homenagem a policial morto em serviço

Compartilhe!

A honraria foi criada por Decreto e poderá ser concedida pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI) da Segurança Pública.

O Atibaiense – Da redação

Na edição do dia 5, da Imprensa Oficial, foi publicado o Decreto nº 8967, de 4 de outubro de 2019, que dispõe sobre a oficialização da condecoração instituída pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI), em homenagem ao policial Sargento PM Nilson MikioFuruta Júnior, morto em serviço. A condecoração será composta pela “Medalha Sargento Nilson MikioFuruta Júnior”.

Pelo decreto, poderá ser concedida a Medalha aos estandartes das organizações policiais e instituições civis, nacionais e estrangeiras, “que se tenham tornado credoras de homenagens”. O documento traz ainda a descrição de como deve ser a medalha, com definição de cores e caracteres a serem gravados.

A honraria terá ainda um diploma  e  a  barreta  de  uso  em  fardamentos. O  diploma  terá  as  características  e  dizeres  a  serem  estabelecidos  pelo colegiado do Gabinete de Gestão Integrada.

As  propostas  para  a  concessão  da  medalha  serão  dirigidas  ao  colegiado do GGI, acompanhadas do “Curriculum Vitae” do proposto, bem como as razões que as justifiquem, devendo ser administrada pelo colegiado “em conformidade com o estabelecido neste regulamento”.

A aprovação das propostas dependerá da maioria absoluta de votos do colegiado do GGI e a condecoração poderá ser concedida a título póstumo.

O decreto destaca que a “entrega  da  venera  será  feita  quando  aprouver  ao  sodalício,  de  forma  solene,  com  vistas  a  valorizar  o  trabalho  deste  gabinete  e  perpetuar a gratidão pelos serviços prestados à sociedade e à memória do Sargento Nilson MikioFuruta Júnior”.

Caso o homenageado, por qualquer motivo, venha a denegrir a imagem do GGI e ou ao policial herói que tombou em serviço, bem como tenha sido condenado, por  Tribunal da Justiça Comum e/ou Militar, ressalvada a sua defesa, deverá deixar de usar a medalha e deve devolvê-la  ao  Gabinete  de  Gestão  Integrada  (GGI),  juntamente  com os seus complementos.

Na hipótese da extinção da condecoração, no todo ou em parte, “seus cunhos,  exemplares e complementos remanescentes, serão recolhidos à Prefeitura ou ao museu, sem ônus para os cofres públicos, conforme determinação do colegiado do GGI”.

O regulamento da medalha somente poderá ser alterado após submissão ao Poder Executivo de Atibaia, sem ônus aos cofres públicos. O decreto está em vigor desde a publicação, em 5 de outubro.

Quem era o sargento

O Sargento PM Nilson MikioFuruta Júnior foi morto em serviço em 19 de dezembro de 2018, durante assalto a agências bancárias em Atibaia. As agências da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Santander, da Rua Thomé Franco, tiveram cofres explodidos por uma quadrilha.

Por volta das 3h30 da madrugada de 19 de dezembro de 2018, diversos veículos com ladrões fortemente armados entraram na cidade para explodir cofres e caixas eletrônicos de agências bancárias do Centro. O sistema de Muralha Digital registrou quatro desses veículos em fotos, soando o alarme com a passagem de um deles, que era roubado. Os ladrões, estimados em cerca de 30 pela Polícia Civil, fizeram bloqueios na Rodovia Fernão Dias e outras entradas da cidade, com barricadas e uso de um dispositivo chamado “miguelito”, para furar pneus de veículos.

Parte da quadrilha foi para o Centro para explodir os bancos. Outra parte foi até as proximidades da 3ª Cia da PM, próximo à Alameda Lucas Nogueira Garcez, para impedir a saída de viaturas. Ao menos um veículo com três integrantes ficou vigiando a Cia.

Quando a viatura onde estavam o cabo Márcio Aparecido Alves e o sargento Nilson MikioFuruta Junior saiu da base da PM, foi alvejada por tiros de fuzis. Nilson foi atingido na região da cabeça e morreu.

Deixe uma resposta