Atibaia receberá 643 novas unidades habitacionais

Compartilhe!

243 unidades habitacionais foram viabilizadas após trabalho de reivindicação do Executivo Municipal junto ao Governo Estadual.

Atibaia receberá 643 novas unidades habitacionais, garantindo mais moradia para quem precisa. As novas unidades foram viabilizadas após trabalho de articulação com pleitos junto aos governos Federal e Estadual e se somarão a mais de 1.600 unidades já entregues na cidade nos últimos sete anos por meio do HabitAção, Programa Habitacional da Prefeitura da Estância de Atibaia.

No início de setembro o prefeito Saulo Pedroso participou de reunião em Brasília-DF, na Secretaria Nacional de Habitação, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional, em mais uma etapa da série de pleitos registrados na União.

“Após muito trabalho conseguimos avançar com um projeto de 400 unidades na região do Colonial, na Estrada HisaichiTakebayashi, o Vila Esperança (I e II). A Prefeitura está fornecendo o terreno e a implantação das unidades será pelo Programa ‘Minha Casa, Minha Vida’ (MCMV), faixas 1,5 e 2, proporcionando o atendimento a uma quantidade significativa de famílias de Atibaia que necessitam de uma moradia digna”, salientou o chefe do Executivo.

Outras 243 unidades habitacionais foram viabilizadas após trabalho de reivindicação do Executivo Municipal junto ao Governo Estadual, por meio do Programa Nossa Casa, que promove parcerias entre o Estado, as prefeituras e a iniciativa privada para fomentar a produção de unidades habitacionais para famílias de baixa renda.

O termo de adesão do empreendimento – que também ficará na região do Colonial e é chamado de Atibaia G – já foi assinado pelo município, que tem direito a unidades pela modalidade Nossa Casa-CDHU, em que as moradias são edificadas em terrenos doados pelas prefeituras e cabe à Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano – CDHU a elaboração dos projetos, a licitação para selecionar as empresas que executarão o empreendimento e a seleção dos beneficiários, por meio de sorteio. Já a contratação das construtoras é de responsabilidade da Caixa Econômica Federal – CEF.

Vale ressaltar que para ambos os projetos ainda não há data definida para a inscrição e o sorteio.

Deixe uma resposta