A ética como resistência em tempos de insanidade

Compartilhe!

A resistência ética é mais urgente do que nunca. Estamos vivendo no país um tempo de insanidade – tanto na política quanto na sociedade, passando evidentemente pela comunicação. As redes sociais são utilizadas como ferramenta da mentira, da desinformação e da hiperinformação. Ou seja, o consumidor de notícias é levado pela enxurrada de dados, nem sempre fundamentados e coerentes, sendo vítima de assédio moral por falsos jornalistas.
Nesta semana, dois artigos me chamaram a atenção no sentido de contextualizar o que estamos vivendo. José de Souza Martins, sociólogo, escreveu no Valor Econômico sobre “O triunfo do poder pequeno”. No site Observatório da Imprensa, a reprodução do artigo “Tempos de insanidade e aniquilação do conhecimento”, do projeto objETHOS, texto de Ricardo José Torres, doutorando em Jornalismo e pesquisador.
Martins observa: “Enquanto o pequeno poder esteve oculto nas dobras da sociedade, tudo parecia bem. Mas o efeito devastador de sua pequenez, nos gestos, nos discursos, nas ações, começou a mostrá-lo como o que é, aquém, incapaz e impatriota, redutivo e alienador”.
Torres aponta: “Atualmente nada parece ser mais desafiador do que encontrar elementos de confiança informacional no ecossistema de desinformação estrutural e profunda que encontramos no ambiente comunicacional baseado em ferramentas digitais. Cotidianamente os jornalistas convivem com desafios impostos pelo uso e apropriação de tecnologias que estruturam um cenário caótico de hiperinformação”. Uau!
O Observatório da Ética Jornalística (objETHOS) é uma realização do Departamento de Jornalismo e do Programa de Pós-Graduação em Jornalismo (POSJOR) da Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil. O projeto surgiu em setembro de 2009 e é uma iniciativa de pesquisa, acompanhamento e monitoramento da ética praticada por jornalistas e meios de informação, com investigações para teses, dissertações e estudos específicos sobre ética jornalística, crítica de mídia, identidade profissional, tecnologias associadas ao jornalismo, novos modelos de negócio e de produção jornalística, mídia independente, e novas configurações do ecossistema informativo. Temas para novos artigos deste humilde colunista.

Deixe uma resposta