Projeto sugerido pelo jornal O Atibaiense foi aprovado nesta semana pela Câmara

Compartilhe!

Os monumentos, marcos históricos e turísticos, estão esquecidos em Atibaia. O jornal O Atibaiense fez em 2018 uma série de artigos com o objetivo de levantar esses marcos, começando pelo centro da cidade. O primeiro foi o monumento ao dr. Zeferino Alves do Amaral.
Na mesma praça dos Três Poderes, onde estão os prédios da Câmara, da Prefeitura e do Fórum Cidadania, está o monumento à imigração japonesa, tema do segundo artigo. Instalado também nessa praça, o monumento com maior destaque é o Santo Cruzeiro, tema do terceiro artigo.

SUGESTÃO DE EDITORIAL
No quarto artigo da série, o vereador Tiãozinho da Farmácia, atendendo a sugestão de editorial publicado neste jornal, apresentou o projeto de lei nº 47/18, que dispõe sobre a autorização da Prefeitura para celebração de termos de cooperação com a iniciativa privada e organizações da sociedade civil, tendo por objeto o restauro e a conservação de monumentos no município de Atibaia.
Este projeto foi aprovado nesta semana, após tramitação na Câmara. Neste ano, Tiãozinho é o presidente da Câmara. A expectativa é de que o empresariado, as entidades, as pessoas físicas interessadas na cultura e a própria Secretaria de Cultura e Eventos, se empenhem para colocar em prática a proposta.

FOMENTAR A COOPERAÇÃO
Tiãozinho explicou que, ao pensar o Programa Adote um Monumento, teve por objetivo fomentar a cooperação da iniciativa privada e de organizações da sociedade civil no resguardo e preservação das obras e monumentos artísticos instalados nas vias, logradouros e demais bens públicos municipais, resgatando a importância dos homenageados para a história e a cultura de Atibaia.
“Entendemos que este projeto, agora aprovado, não implica gastos para os cofres públicos, uma vez que sugere parcerias com a sociedade, seja com empresas, organizações ou entidades civis, além de famílias e pessoas físicas. Lembramos que os monumentos representam referências culturais sobre personalidades ou datas históricas, importantes para a memória de Atibaia”, concluiu Tiãozinho da Farmácia.

Deixe uma resposta