Cresce número de acidentes fatais com motos em Atibaia

Compartilhe!

Dos oito acidentes fatais registrados em julho, seis envolviam motos. No mesmo mês de 2018, foram quatro acidentes fatais, apenas um com morte de motociclista.

O Atibaiense – Da redação

O Infosiga SP, sistema de dados do Governo de São Paulo gerenciado pelo programa Respeito à Vida, registrou em julho oito acidentes fatais em Atibaia. Desse total, seis envolviam motociclistas. Somente o mês de julho foi responsável por metade das mortes de motociclistas do ano. De janeiro a julho, foram 12 acidentes com mortes de motociclistas.

O total de acidentes fatais em Atibaia cresceu em 2019 em relação a 2018. Já são 25 óbitos registrados nos sete primeiros meses do ano. No mesmo período de 2018, foram 13 acidentes fatais e apenas quatro envolvendo motocicletas.

Segundo o Infosiga SP, de janeiro a julho deste ano já ocorreram 12 acidentes com mortes de motociclistas, seis com óbito de pedestres, quatro envolvendo automóveis, um com caminhão e dois casos sem dados disponíveis sobre o tipo de veículo envolvido.

Dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito) mostram que em junho, a frota de motocicletas registradas em Atibiaia era de 22.400.

Com relação aos dados de 2019, das 25 mortes, 80% foram de homens e 20% de mulheres. A grande maioria das mortes foi de jovens entre 18 e 24 anos – oito casos.

Os acidentes acontecem com mais frequência nas rodovias – são 60% dos casos. A grande maioria das vítimas morre na própria via (64%). Do total de mortos, 48% foram os condutores, 24% pedestres, 16% passageiros e 12% dos casos não tinham informação disponível.

Com relação ao tipo de acidente fatal mais comum, houve dez colisões, seis atropelamentos, quatro choques, três casos com tipo não disponível e dois casos registrados como tombamento de veículo de duas rodas.

Entre os 25 acidentes do ano até o momento, 20 tiveram envolvimento de outros veículos – oito com envolvimento de caminhões, sete de automóvel, três com ônibus envolvido e dois com moto. Houve três casos sem outro veículo envolvido e dois com dados não disponíveis.

Os dados de Atibaia são preocupantes levando-se em conta as estatísticas para o Estado. Fatalidades envolvendo motociclistas no Estado de São Paulo diminuíram no mês de julho. No último mês, 138 motociclistas foram vitimados por acidentes em todo Estado, contra 166 no período anterior. As ocorrências permanecem concentradas em vias urbanas (54%) e mais da metade dos casos (51%) envolvem colisões contra outros veículos.

O perfil da vítima motociclista é jovem com idade entre 18 e 29 anos (44%), homem (83%) e condutor do veículo (85% dos casos). Os períodos da noite e madrugada (51%) e finais de semana (52%) concentram os acidentes fatais no mês.

Quando se considera o número de óbitos causados por acidentes de trânsito em todo Estado, seja qual for o modal, o Infosiga SP registrou 479 ocorrências, redução de 3,6% na comparação com o mesmo período de 2018. Nos primeiros sete meses, a redução é de 2,2% (3.072 ocorrências contra 3.142 no ano anterior).

“A redução de acidentes fatais envolvendo motociclistas e pedestres é um sinal positivo, pois são os grupos que lideram as estatísticas”, analisa a coordenadora do Respeito à Vida, Silvia Lisboa. “O Governo de São Paulo tem investido em fiscalização e ações de conscientização, processo também adotado por muitos municípios parceiros do programa e gestores de rodovias. Quando há mudança de atitude, geramos mais segurança no trânsito. Esse é o foco do nosso trabalho”, afirma.

Já pedestres seguem com redução importante nos índices. Em julho, foram registrados 128 casos contra 133 no ano passado (queda de 3,8%). Entre os meses de janeiro e julho, são 803 ocorrências contra 879 no mesmo período de 2018, redução de 8,7%. Idosos com mais de 60 anos de idade seguem como as principais vítimas e correspondem a 40% dos casos no mês.

O Infosiga SP mostra ainda que o número de vítimas ocupantes de automóveis subiu 10,2% em julho, com 140 vítimas fatais contra 127 no ano passado. Já casos envolvendo ciclistas aumentaram 14,7%, com 39 ocorrências contra 34 no mesmo período de 2018.

Deixe uma resposta