ATIBAIA E SÃO PAULO – MINHAS DUAS CIDADES

Compartilhe!

Costumo dizer que Atibaia e São Paulo sãominhas duas cidades. Digo isso porque elas são muito importantes para mim e porque gosto muito delas.
Em Atibaia, vivi cerca de vinte anos e não a escolhi para nela nascer, diferentemente da outra, pra onde decidi me mudar por ser próxima de Atibaia e por me oferecer condições de continuar meus estudos e de trabalhar no futuro.

Lembro-me tão bem do dia em que me mudei para São Paulo. Ao me despedir de meus familiares em Atibaia meu saudoso , papai muito generosamente me deu uma nota de cinquenta cruzeiros para eu me virar em Sampa enquanto não tinha emprego
Hoje, julho de 2019, faz pouco mais ou menos cinquenta e cinco anos que me mudei. Mas não me afastei de Atibaia, para onde vou sempre que posso para matar saudade dos tempos em que lá morei e visitar amigos, parentes e familiares que lá residem.

Preferi continuar morando em Sampa porque continuotrabalhando, apesar de estar já aposentado. Mas só no papel.
Essas duas cidades são bem diferentes. São Paulo, imensa, a grande metrópole que sempre atraiu muitos imigrantes de diferentes cidades do Brasil e de outros países: Portugal, Espanha Itália, Turquia, Alemanha, China, Japão etc.
Atibaia é uma cidade muitíssimo menor que São Paulo, mas cresceu bastante desde o período em que de lá saí.
As vezes fico pensando se não teria sido melhor para mim ter permanecido em Atibaia, em vez de ter me mudado para São Paulo. Mas eu era ambicioso. Não me satisfazia de fazer um curso normal em Atibaia, por exemplo, tornar-me professor e lecionar para o curso primário, sem ter nenhuma outra ambição. Então preferi acompanhar os passos de meu saudoso irmão João Batista e mudar-me para Sampa para aqui fazer o curso superior. Foi isso que realmente fiz, ingressando na Faculdade de Filosofia e Letras da Universidade de São Paulo, onde obtive a licenciatura para lecionar Francês, Português e Literatura. Graças a essa licenciatura, depois de ter trabalhado durante oito anos num banco, passei a lecionar francês e português em vários colégios e faculdade de São Paulo,além de trabalhar como consultor de Língua Portuguesa e de revisor de textos. Essa ultima atividade é a que exerço atualmente, prestando serviços para várias editoras numa empresa de minha propriedade, a Chamadoira Textos. Ainda arrumo um tempinho para escrever textos para a coluna que tenho no site de O Atibaiense graças ao Wagner Bassetto, que há oito anos gentilmente me convidou para ser colunista, o que é uma grande honra para mim.
Ainda bem que Atibaia é bem próxima de São Paulo. Assim posso ir para lá sempre que me é possível. Quando para lá vou, gosto muito de caminhar pela trilha em torno do Lago do Major ou de simplesmente ficar sentado em algum banco ali para admirar a bela paisagem, na qual vejo o velho Colégio Major Juvenal Alvim, que frequentei por oito anos e que dá nome ao maravilhoso lago que enfeita aquela local Dali gosto também de ficar contemplando a majestosa Pedra Grande, onde, aliás, costumo ir de vez em quando para desfrutar de um ar mais puro e, de lá de cima, apreciar a paisagem que inclui a velha cidade da qual eu gosto tanto. Gosto também de ficar caminhando pelas ruas do centro da cidade, próximas da Rua Treze de Maio onde até hoje existe a casa onde nasci e morei, mas que infelizmente não mais pertence a minha família,para evocar gratas lembranças daqueles tão bons tempos!
Pensando bem, acredito que fiz bem de vir a São Paulo. Em Atibaia, minha vida teria sido muito monótona. Lá não há as grandes livrarias que existem aqui em Sampa e que eu costumo frequentar todo sábado. Lá também não existem tantas opções de lazer que aqui há, em ternos de cinema, teatro e museu, por exemplo. Lá também não tem a quantidade de restaurantes aqui existentes e que oferece muitas alternativas de gastronomia. Por tudo isso não me arrependo de ter vindo para Sampa, onde continuei meus estudos, onde iniciei minha carreira profissional e onde me casei e constituí família.
Atibaia, para mim, é a cidade ideal para passar férias, porém não mais do que uma quinzena. Não conseguiria viver lá mais do que isso, pois a monotonia e o tédio, que sentiria lá, me obrigariam a voltar para São Paulo, onde tem tudo que quero para me divertir e ser feliz.
Ambas são especiais para mim, pois fazem parte da história da minha vida.A primeira muito mais ligada a minha família pois enquanto estive lá tive por perto meus amigos, parentes e familiares: meus pais, meus irmãos, avós, primos e tios.São Paulo tem a ver com meusestudos universitários e meu trabalho , pois nela vim pensando em continuar meus estudos e iniciar minha carreira profissional. Não sei de qual das duas gosto mais. Talvez goste delas na mesma medida pois ambas constituem capítulos importantes da história de minha vida.

Deixe uma resposta