Parceria entre Prefeitura de Atibaia, USP e Universidade de Londres vai desenvolver projeto único para pacientes com Doença de Parkinson e Alzheimer

Compartilhe!

Com duração prevista de 5 anos, o projeto vai beneficiar diretamente a população de Atibaia, já que os pacientes serão os já cadastrados no Programa.

O investimento que vem sendo realizado pela Administração Municipal em políticas públicas de saúde rendeu uma parceria inédita entre a Prefeitura, a Universidade de São Paulo (USP) e a University College London (UCL) da Inglaterra. As tratativas para o desenvolvimento do projeto tiveram início há cerca de um ano e no dia 8 de maio foi assinado pelo Prefeito o convênio nº 025/2019.
O convênio tem por objeto o desenvolvimento em parceria do projeto “Estudos dos mecanismos da modulação do sistema nervoso autônomo nas funções cognitivas no Envelhecimento, através do “Programa Raimunda Moura para Parkisonianos” da Academia da Saúde Armando Augusto Tricoli. O projeto é uma iniciativa inédita, realizado pela primeira vez fora da USP e viabilizado pelo fisiologista Marcos Moura, coordenador do Programa Raimunda Moura, e pelo Dr. Vagner Roberto Antunes da USP e pesquisadores da UCL.
Com duração prevista de 5 anos, o projeto vai beneficiar diretamente a população de Atibaia, já que os pacientes serão os já cadastrados no Programa e ou encaminhados por neurologista da rede básica ou busca ativa através da rede privada. O projeto ainda terá custo zero para Atibaia, sendo que o local para o desenvolvimento é a própria estrutura da Academia da Saúde, com todo seu suporte de atendimento em pleno funcionamento. Os recursos de pesquisa e equipamentos relacionados serão fornecidos pela USP via CAPES, e a University College London, entra com recursos em equipamentos e intercâmbio com mestrandos, doutorandos, pesquisadores e coordenadores do projeto.
Na busca pela prevenção e melhoria na qualidade de vida de pacientes com a doença de Alzheimer e Parkinson, o projeto visa avaliar se uma disfunção do sistema nervoso autônomo precede e contribui para o declínio cognitivo e desenvolvimento de demência no envelhecimento. Doenças como o Parkinson e o Alzheimer impactam a qualidade de vida de idosos e geram um alto custo emocional e financeiro para pacientes, familiares e sistema de saúde.
O desenvolvimento de pesquisa será coordenado pelos professores e pesquisadores: membros da SBFis, Vagner Roberto Antunes do ICB- USP, Marcos Moura, Coordenador do Programa Raimunda Moura para Parkinsonianos / Academia da Saúde e participação da aluna Isabel Junqueira.

Deixe uma resposta