Sistema Cantareira saiu do nível de alerta e passou a operar com 58% da capacidade

Compartilhe!

Desde janeiro, o reservatório saiu do nível de estado de alerta após seis meses operando com volume igual ou abaixo de 40%.

Desde janeiro, o Cantareira está fora do nível de alerta e vem operando com mais de 40% do volume total. Segundo o site G1, o Sistema Cantareira operava com 58,7% de sua capacidade no último domingo (5), com base em dados da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). O nível do manancial se manteve estável entre sábado e domingo.
O nível de pluviometria no sistema no mês de maio é de 2 mm. A média histórica é de 78,6%. Desde janeiro, o reservatório saiu do nível de estado de alerta após seis meses operando com volume igual ou abaixo de 40%. Os sistemas Alto Tietê, Guarapiranga, Rio Grande, Rio Claro e São Lourenço apresentaram variação negativa, tendo o último a maior queda: -0,6%.
Os índices dos outros reservatórios são: Alto Tietê – 93,6%; Guarapiranga – 91,8%; Cotia – 100,7%; Rio Grande – 101 %; Rio Claro – 101,9%; e São Lourenço – 91,8%. O Sistema Cantareira é o maior dos sistemas administrados pela Sabesp destinados à captação e tratamento de água para a Grande São Paulo e um dos maiores do mundo, sendo utilizado para abastecer 8,8 milhões de habitantes.

REGIÃO METROPOLITANA
É o maior da Região Metropolitana de São Paulo. A capacidade da estação de tratamento é de 33 mil litros de água por segundo destinados a 6,5 milhões de pessoas das Zonas Norte, Central e partes das Zonas Leste e Oeste da capital, bem como os municípios de Franco da Rocha, Francisco Morato, Caieiras, Osasco, Carapicuíba e São Caetano do Sul, além de parte dos municípios de Guarulhos, Barueri, Taboão da Serra e Santo André. O sistema é formado pelos rios Jaguari, Jacareí, Cachoeira, Atibainha e Juqueri (Paiva Castro).
De acordo com o site www.nivelaguasaopaulo.com/cantareira, devido à possibilidade de falta de água, a capacidade do sistema Cantareira foi aumentada com o uso das reservas técnicas, também chamadas de volume morto. Com a entrada de 182,5 bilhões de litros de água da reserva técnica do Sistema Cantareira em 16 de maio de 2014, foram acrescidos 18,5% sobre o volume total do sistema (982,07 bilhões de litros).

CAPACIDADE MÁXIMA
O volume total atual é de 1.269,5 milhões de m3. Deste volume, 287,5 milhões de m3 são só referentes à reserva técnica e têm de ser bombeados, representando um custo muito elevando em termos energéticos. Atualmente, estão armazenados 863.8654 milhões de m3 no sistema Cantareira, conforme dados de domingo passado. A capacidade máxima do Sistema Cantareira é de 982 bilhões de litros.
O site citado tem, em detalhes, a situação do momento e a história dos volumes. Nos últimos 30 dias, o Cantareira subiu o nível de água em 16 vezes e não desceu o nível de água. Durante este período, o nível de água manteve-se igual em 14 dias. Em sete dias da semana passada, o sistema manteve o mesmo nível.

NOS ÚLTIMOS 30 E 180 DIAS
Ainda nos últimos 30 dias, o Cantareira ganhou 3,70% da sua capacidade máxima, o que corresponde a 3.633 milhões de litros, que são equivalentes a 181.670 caminhões-pipa de 20.000 litros. Nos últimos 90 dias, o sistema ganhou 15,70% da sua capacidade máxima, o que corresponde a 15.417 milhões de litros, que são equivalentes a 770.870 caminhões-pipa de 20.000 litros.
Nos últimos 180 dias, o Cantareira ganhou 24,50% da sua capacidade máxima, o que corresponde a 24.059 milhões de litros, equivalentes a 1.202.950 caminhões-pipa de 20.000 litros.

O Atibaiense – Da redação

Deixe uma resposta