Governo do Estado confirma abertura de concurso para a PM

Compartilhe!

O governador do estado de São Paulo, João Dória, autorizou a realização de um novo concurso para a Polícia Militar (concurso PM SP) com 5.400 vagas para Soldado. Após sua posse como governador, Dória se comprometeu a reforçar o efetivo da corporação, colocando como prioridade de seu governo a melhoria da segurança pública.

A confirmação do certame veio por meio de autorização publicada no Diário Oficial do Estado (DOESP), na última semana. Segundo o documento, o certame será dividido em duas etapas. Serão dois editais, cada um com 2.700 vagas, em que o provimento será para maio e novembro de 2020. Os editais devem ser lançados em breve.

Além de anunciar o novo certame, o chefe do executivo informou que serão criados 17 batalhões especiais (Baeps). Em outra oportunidade, Dória já tinha prometido também aumentar as bases da corporação, passando de 400 para 1.200 e comprar mais armas e equipamentos para a PM SP.

Para concorrer ao cargo, além de ensino médio completo, os interessados devem possuir idade mínima de 17 anos, altura mínima de 1,60 m para homens e 1,55 m para mulheres e até 30 anos, além de carteira de habilitação nas categorias “B” a “E”. A remuneração inicial para o Soldado PM de 2ª Classe é de R$ 3.143,70.

Último concurso PM SP

Em 2018, a corporação realizou dois concursos públicos com oferta de 2.700 vagas cada, para o cargo de soldado. A organização ficou por conta da Fundação Vunesp. Um dos editais foi publicado em março e o outro em julho.

O concurso contou com prova objetiva, prova dissertativa, exame de aptidão física, exame de saúde, exame psicológico, avaliação de conduta social e análise de documentos.

O exame objetivo contou com 60 questões de múltipla escolha com cinco alternativas, sendo 18 de Língua Portuguesa, 12 de Matemática, 14 de Conhecimentos Gerais, 8 de Informática e 8 de Noções de Administração Pública.

Atribuições do cargo de soldado: policiamento ostensivo e a preservação da ordem pública, envolvendo a repressão imediata às infrações penais e administrativas e a aplicação da lei, nas diversas modalidades de policiamento, sempre primando pela defesa da vida, da integridade física e da dignidade da pessoa humana, em conformidade com os princípios doutrinários de polícia comunitária, de direitos humanos e de gestão pela qualidade, por intermédio da conclusão com aproveitamento do Curso Superior de Técnico de Polícia Ostensiva e Preservação da Ordem Pública, destinado a formar, com solidez teórica e prática, o profissional ocupante do cargo inicial do Quadro de Praças da Polícia Militar.

Deixe uma resposta